A Metamorfose de Franz Kafka


Personagens Principais Gregor Samsa – caixeiro viajante, arrimo de família Grete – irmã de Gregor, 16 anos Sr. E Sra. Samsa – pais de Gregor e Grete

Personagens Secundárias Ana – cozinheira da família Samsa Gerente – chefe de Gregor Médico – chamado para atender Gregor Inquilinos – hospedes da família Samsa

Interpretação A personagem Gregor está pagando a dívida do pai (simbolizando Adão), ele está pagando a dívida do pecado original. Gregor é o único que a está pagando, despertando a inveja dos demais que se sentem culpados e provocando o desejo (mimético) pela condição moral de Gregor.

Quando ele para de pagar a dívida, de expiar o pecado, ele cai, e na queda vai se ver nu (como Adão e Eva). A metamorfose de Gregor em um monstro é simbólica, ele está vendo sua real condição. Mas os demais também são culpados (monstros) e Gregor será sacrificado (vítima sacrificial – bode expiatório – René Girard) para a recuperação da ordem (a família Samsa começa a se sentir melhor e programar seu futuro).

Maravilhosa alegoria da condição humana.



Notas

  • Franz Kafka (1883-1924) é originário de Praga, então capital da Boêmia e parte do Império Austro-Húngaro. Sua família é judia.

  • Kafka escreveu sua obra em alemão.

  • Não é fácil ler Kafka, tudo nele é ambíguo, nada parece ser o que é. É preciso ter isso em mente buscar entendê-lo.

  • As principais obras de Kafka são: O Processo (1925). A Metamorfose (1915) e O Castelo (1926). A leitura destes três livros na sequência acima parece representar a obra de Kafka e pode ser a chave para sua interpretação.

  • Há dezenas de interpretações da Metamorfose. As mais comuns são as interpretações freudiana (luta entre pai e filho) e dialética-materialista (Gregor seria esmagado pela pata do capital). É muita bobagem.

  • O Diabo tentou Eva e esta convenceu Adão. René Girard identifica a atração de Adão pelo fruto como o primeiro sintoma do desejo mimético. O desejo mimético eleva o nível tensional da sociedade, exigindo a violência sacrificial para pacificá-la. Girard alega que o ato fundador da humanidade foi o sacrifício de Abel (ato de violência (sacrificial) – vítima inocente, sem possibilidade de reação, que purgará o pecado dos outros).

  • Sócrates e Jesus Cristo também seriam vítimas sacrificiais.

©2019 by Cultura Animi