While We're Young (2014)



Envelhecer e morrer. Nada mais natural. Nenhum evento é mais certo em nossas vidas do que este processo. Mesmo assim cada vez mais as pessoas temem envelhecer e morrer. Outra certeza inescapável é que o destino está sempre colocando obstáculos diante de nossos plano e sonhos. Porém teimamos em não entender a naturalidade disto, buscando culpáveis imaginários e fantasiamos parar o relógio até que nossos objetivos se concretizem. A incapacidade de compreender a realidade é a insanidade que se alastra feito uma real epidemia em nosso tempo.

Outro tema recorrente abordado no filme é a loa ao fato de ser jovem. Todos foram jovem e todos serão velhos. A juventude tem o benefício do vigor físico e a velhice o lucro da sapiência. Ao menos assim deveria ser. Mas onde está a robustez em entupir-se com drogas e copular feito um animal, e como acumular conhecimento sem captar a realidade? Ao menos o filme revela a hipocrisia do jovem casal. Neste contexto a epígrafe fica sem sentido. Ninguém teme a juventude, ao contrário a idolatra. Aparentemente o diretor refere-se ao medo de encarar a juventude em contraponto a própria velhice de cada um. Tolice.

O filme ainda vende o relativismo como algo normal: “Que mal há em falsear um pouco um documentário? Afinal, ética é para pessoas ingênuas.” Serve como alerta para quem sai vomitando opiniões como fatos após assistir a um documentário qualquer – documentários, há muito tempo, são discurso poético, algumas vezes retórico, raramente alcançando o nível dialético, e nunca tocando o conhecimento apodítico.

Filme Nota 2 (escala de 1 a 5)

©2019 by Cultura Animi