Sobre o Sermão do Senhor na Montanha



Santo Agostinho viu no Sermão da Montanha o modelo perfeito da vida cristã, contendo todos os seus preceitos.


Jesus apresenta a Lei Nova, a segunda aliança, como uma adição aos preceitos anteriores e a Aliança da Arca. A lei antiga não é revogada e o Cristianismo incorpora o Antigo Testamento, incluindo livros não aceitos pelos judeus. O Cristianismo é colocado em patamares mais elevados.


Jesus cria é uma religião de natureza misericordiosa, misericórdia que não existe na pessoa do Deus judaico. No Cristianismo, o mais importante é a intenção – temos isto no âmbito da justiça no episódio das Eumênides, quando se passa de Têmis para Dike. O Cristianismo é mais humano por desviar o eixo da moral do cumprimento de regras rígidas para o eixo da intenção. Jesus não descarta a fórmula anterior para permitir o contraste que produz a misericórdia – não tenho a possibilidade do colorido se eu houver o incolor.


No conceito da lei anterior é olho por olho e dente por dente. Fez, está errado. Não fez, está certo. Na nova lei de Jesus Cristo, você desejou o mal, já está errado, mesmo que não o tenha feito. Você desejou o bem e o fez, aquele mal feito anteriormente pode merecer misericórdia. A diferença da velha para a nova lei está na sua intenção.


No Cristianismo vale a intenção, não somente a ação. Os maus pensamentos, mesmo que não gerem ação negativa, precisam ser extirpados do coração. Pode parecer muito rígido, mas é preciso recordar que Deus não nos pede para sermos santos, mas sim para buscar a santidade. O Cristianismo foi trazido para os pecadores. Dizer que os cristãos pecam é uma platitude. A nossa vida humana é um conjunto de imperfeições que, no entanto, precisam ser bem intencionadas em princípio.


Deus não nos exige santidade, mas sim boa vontade e dedicação em busca-la. Por isso é perfeitamente possível não estar dentro do padrão das normas sugeridas pelo Sermão da Montanha e mesmo assim ser aceitável e amável perante os olhos de Deus. O Inferno é não querer e não conseguir sair do pecado.



Santo Agostinho percebeu uma sintonia entre as sete bem-aventuranças e os sete pedidos do Pai-nosso:


  1. Bem-aventurança: pobre de espírito. Qual o sentido: ser humilde, desapegado da própria opinião. Qual a virtude que nasce disso: o temor a Deus. Na oração: Pai-nosso que estais no céu, santificado seja o vosso nome. Significado do Pai-nosso: o filho reconhece a autoridade do Pai.

  2. Bem-aventurança: ser manso. Qual o sentido: não resistir, respeito e consideração para com Deus Qual a virtude que nasce disso: a piedade, ser pio, quere imitar Deus Na oração: Venha a nós, o vosso reino. Significado do Pai-nosso: entre em nós a sua ordem, aceitamos a ordem do céu.

  3. Bem-aventurança: lamentadores. Qual o sentido: saudosos dos bens terrestres. Qual a virtude que nasce disso: ciência, compreenda-se consciência. Na oração: Seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu. Significado do Pai-nosso: a terra submete-se ao céu mesmo que tenhamos quer perder com isso. É o casamento do céu (pai-espírito-homem) e a terra (mãe-matéria-mulher) – família no microcosmo (viabilização da humanidade). Caminho natural do ser humano, história da nossa existência.

  4. Bem-aventurança: famintos e sedentos. Qual o sentido: famintos e sedentos do terreno do vizinho, rejeitar bens falsos e querer os bens verdadeiros Qual a virtude que nasce disso: fortaleza. Na oração: O pão nosso de cada dia, nos daí hoje. Significado do Pai-nosso: precisamos do pão espiritual contra a ilusão.

  5. Bem-aventurança: misericordiosos. Qual o sentido: os que perdoam porque se compadecem da dor alheia. Miséria no sentido de compaixão, o misericordioso se coloca no lugar do outro. São os que perdoam porque sentem compaixão. Daí nasce a fortaleza. Qual a virtude que nasce disso: conselho, vem de conselheiro, na sua origem significa aquilo que é o certo. Na oração: Perdoai as nossas dívidas, assim como nós também perdoamos os nossos devedores. Significado do Pai-nosso: Perdão das dívidas dos nossos devedores, e das nossas por Deus.

  6. Bem-aventurança: limpos de coração Qual o sentido: ser simples, ter inteligência no sentido da palavra grega nous, é mais do que entendimento, é olhar e ver o que é, sem que precise fazer um raciocínio. Qual a virtude que nasce disso: inteligência Na oração: E não nos deixeis cair em tentação. Significado do Pai-nosso: não é um pedido para que não tenhamos tentações, mas é um pedido para não cairmos nela. Ter tentação é fundamental, pois como mostrar o mérito de não ter caído nela? A pior tentação é quere fazer um mundo melhor do que este que Ele criou.

  7. Bem-aventurança: pacíficos. Qual o sentido: ser reordenados, ordenam os movimentos da alma, submetendo-a a razão (nous-espírito + episteme-razão = sophia-sabedoria / razão sem a luz da verdade leva aos maiores enganos, e.g. a palavra mentira vem de mente) Qual a virtude que nasce disso: é obter o dom, sabedoria. Na oração: Livrai-nos do mal. Amém. Significado do Pai-nosso: Para nos livrar do mal precisamos apelar, pedir para não sermos confusos, que tenhamos vista clara para entender as coisas. Ser pacífico é acreditar que algo tem sentido mesmo quando você desconhece a totalidade da conjuntura. Aceitar o que está a sua volta com uma confiança cega de que Deus fez aquilo por alguma razão e que você vai esperar o tempo certo até que a razão seja revelada.

Seguem comentários de Agostinho sobre determinados excertos do Sermão da Montanha:

  • “Possuir a terra” é encontrar sentido na vida sobre o mundo material, significa encontrar sentido nessa vida no mundo manifestado.

  • “Melhor é que se perca um de seus membros” simboliza extirpar o mal, e.g. que o alcoólatra deixe o alcoolismo, e não que corte a língua para não sentir o gosto do álcool.

  • “Não se ponha o sol sobre a vossa ira” significa que você não pode dormir com ira sobre alguém. Não deve guardar rancor de ninguém. Pedir desculpas falando com Deus é válido, mesmo que não o faça diante da pessoa em questão. Reconciliar-se com Jesus é tirar o ódio do coração.

  • Sic transit gloria mundi diziam os antigos – a glória terrena é transitória. Nenhum sucesso material ou pessoal terá valor no Juízo Final. O que valerá é o quanto você amou de fato. Por isso que de todas as regras, ser misericordioso é a mais relevante.

  • Nunca jure algo para alguém. Jurar só responde a insegurança e descrença do interlocutor na sua palavra.

  • Levar um “tapa na face esquerda” é menos grave que na face direita, porque simbolicamente a face direita representa as coisas do céu e a esquerda, as coisas da terra.

  • Tradicionalmente o lado direito trata do céu e o esquerdo trata da terra. O olho é contemplação e a mão é ação. O olho direito é o olho que vê as coisas do espírito e a mão direita é a que faz as coisas do espírito. O olho esquerdo e a mão esquerda estão associados às coisas da terra. Exemplo: Mas quando dás a esmola, não saiba a tua esquerda o que faz a tua direita. – não se te imiscua na consciência o desejo de louvor humano, quando mediante a esmola pretenderes cumprir o preceito divino.

  • Se alguém o obrigar a ir carregado “mil passos”, dê ainda mais outros “2 mil”, porque a soma remete ao número 3, número que denota perfeição.

  • “E alguma vez lhe darás algo melhor que o que se te peça” significa, por exemplo, que se lhe pedem dinheiro para comprar um revólver e matar o vizinho, você lhe dá um conselho no lugar do dinheiro. Pois o que vale é a intenção, essa é a regra central da nova Lei.

  • Não orar pelos pecados contra o Espírito Santo. Propostas demoníacas não devem receber sua oração. Não se deve orar por todos, e não se deve contra alguém.

  • “Ninguém pode servir a dois senhores: porque ou há de aborrecer um, e amar outro: ou há de acomodar-se a este, e desprezar aquele. Não podeis servir a Deus, e às riquezas.” Aquele que está servindo o processo temporal é filho do diabo. Quem se interessa exclusivamente por dinheiro está fazendo o jogo do príncipe deste mundo. Interpretar este versículo da bíblia como um repúdio ao capitalismo é fazer o jogo do demônio, que é aquele que não quer que se veja que a matéria está abaixo do espírito, e não o contrário.

  • “Não queirais julgar, para que não sejais julgados.” Jesus pede que julguemos apenas os atos manifestos e deixemos para Deis os ocultos. Não queiramos presumir entender os Grandes Mistérios e no atenhamos aos Pequenos Mistérios.

  • Há uma diferença entre ira e ódio. A ira pode ser positiva quando reação amorosa a um objeto. Não julgue o outro com ódio, mas com preocupação amorosa. A ira de Jesus contra os vendilhões do templo é um exemplo de ira positiva. Hamlet diz que às vezes é preciso ser mau para ser bom.

  • “Guardai-vos os falsos profetas, que vêm a vós com vestidos de ovelha e dentro são lobos roubadores.” Estes são os verdadeiros anticristos. Anticristo não é uma pessoa, mas sim o conjunto de doutrinas anticristãs. O reino do anticristo não é a existência da ignorância, da perversidade e da maldade, mas o fato de dar-lhes autoridade como acontece nos dias de hoje


Notas

  • Aurelius Augustinus (354-430) nasceu em Tagaste (hoje Souk-Ahrás na Argélia). Filho de romano pagão casado com berbere cristã (Mônica, mais tarde Santa Mônica).

  • Professor de retórica interessou-se por filosofia, maniqueísmo e neoplatonismo antes de converter-se ao cristianismo em 386.

  • Testemunhou o desmoramento do Império Romano simultaneamente com a construção da Igreja. Talvez o principal doutrinador entre os Doutores da Igreja.

  • Em sua extensa obra destacam-se: A Cidade de Deus (primeira obra de filosofia da história), Da Trindade, Sobre o Sermão da Montanha, Da Doutrina Cristã e De Libero Arbítrio.

  • Diferentemente do Islã, que possui apenas uma versão do Corão, o Cristianismo é extremamente complexo. Apenas com Santo Afonso de Ligório, personagem do século XVIII, chegou-se a uma teologia moral cristã.

  • O Cristianismo nasce como relato biográfico narrado por testemunhas oculares. Para transforme-se em doutrina religiosa foi preciso muito trabalhado de pessoas excepcionais ao longo de quase dois mil anos.

  • Santo Agostinho é o primeiro dos grandes pensadores da Igreja Católica, contemporâneo de Santo Jerônimo, autor da Vulgata, o único texto válido da bíblia até as Reformas. Na época de Santo Agostinho havia uma preocupação em como ser cristão e ele brigou com todas as heresias e cismas de então, como (a) o Donatismo – cismáticos que pedia a Igreja que não fosse complacente com os negadores da fé quando da perseguição de Diocleciano. Rejeitaram o bispo eleito, escolhendo Donato de Casa Nigra, (b) o Pelagianismo – ideia de que o pecado de Adão era pessoal e, portanto, ninguém está manchado por ele. Não haveria necessidade de batismo e seriamos responsáveis pela nossa salvação, e (c) o Arianismo – dizia que Jesus era apenas um ser humano excepcional.

  • A Igreja tem 36 doutores cuja opinião são reconhecidas como legítimas sem necessidade de aprovação eclesiástica. Santo Agostinho é Doutor da Graça.

  • Gandhi hipocritamente declarou que se encontrasse um cristão que aderisse totalmente ao Sermão da Montanha ele se converteria imediatamente ao Cristianismo. Mas quantos hindus ele conhece que cumprem integralmente as Leis de Manu? O primeiro a não obedecer tais leis é Gandhi, um vaishá que se comportava como brâmane.

  • Novo Testamento foi traduzido direto do grego – pouco polêmico. Já o Antigo Testamento foi escrito em hebraico e traduzido para o grego para uso dos judeus que haviam esquecido sua língua após o cativeiro da Babilônia – Septuaginta, folcloricamente o produto do trabalho de 70 sábios que por 70 dias fizeram a tradução. O hebraico era falado somente no âmbito do rabinato. O hebraico só voltou a popularizar-se com a fundação de Israel. Antes um judeu falava, por exemplo, Idish no território alemão ou Ladino na Espanha e Portugal.

  • Jesus ensinou sentado, como é próprio da dignidade o magistério.

  • Jesus Cristo não disse Pai-meu e sim Pai-nosso, porque ele é totalmente humano. É totalmente Deus, tem as duas naturezas simultaneamente. Para o Cristianismo, este mundo é real e verdadeiro – existente de fato. O hinduísmo acha que tudo que existe neste mundo aqui é ilusão – Maya.

  • O Cristianismo apresenta paradoxos – aparentes contradições – em função da nossa natureza paradoxal, pois somos feitos a semelhança de Deus mas do pó viemos e ao pó voltaremos (inescapável tensão ontológica).

  • O entendimento da Bíblia requer o apelo aos comentários de Santo Agostinho, São Tomás de Aquino, Santo Anselmo, entre outros.

  • Não há diferença essencial entre a teologia grega e a teologia cristã – apenas uma diferença de formato, pois são povos muito diferentes. A essência de ambas é a bipartição comum em toda a natureza – o pai representa o céu e a mãe representa a terra. Esta é a existência humana.

  • O casamento é uma representação da união do Céu com a Terra no microcosmo humano. Daí o carácter sagrado do matrimônio e da família que assim se constitui. Sua destruição é o fim da nossa civilização.

  • Filosofia é a arte de olhar e ver o que é – como que por intuição. Percebemos a verdade pela intuição e não pelas palavras. Platão debate filosoficamente este tema no diálogo Crátilo.

  • Jesus Cristo não é apenas um homem, mas o modelo de ser humano – o ser humano na sua estruturação ideal. Ele é, platonicamente, a forma humana. Por isso ele aceita a condição de criatura na plenitude.

  • A caridade é um método de terapia espiritual. O benefício maior é de quem pratica a caridade – agradar a Deus. O bem de quem recebe o ato caridoso é colateral.

©2019 by Cultura Animi