Outra Volta do Parafuso de Henry James



Personagens Principais Governanta – narradora, 20 anos Miles – pupilo da governanta, 10 anos Flora – pupila da governanta, irmã de Miles, 8 anos


Personagens Secundárias Senhora Grose – criada da casa, analfabeta Peter Quint & Srta. Jessel – fantamas Tio – patrão da governanta, tio de Miles e Flora


Interpretação O terror de Outra Volta do Parafuso é real e corriqueiro nos nossos dias. Não se trata de fantasmas ou de possessão, mas da corrupção da inocência infantil. Esta é a preocupação constante da governanta. Apesar de seus esforços heroicos ela não terá forças para evitar o desastre final, indicando que a corrupção de valores sobre o Verdade, Beleza e Bondade em tão tenra idade pode ser irrecuperável, fatal.


A enigmática figura do tio identifica o principal culpado da corrupção infantil: seus responsáveis, os pais. Nada mais emblemático dos pais atuais que deixam a educação de seus filhos para terceiros, acreditando que pagar um bom colégio lhes garantirá uma boa formação intelectual e moral. Isso quando não vemos pais acreditando estar educando ao colocar a criança frente à televisão para ver Discovery Kids, ou ainda deixa-la brincado com o computador acreditando-se “modernos”.


Finalmente vale destacar a atitude heroica, mesmo que inútil, da governanta. A prova de que uma “mulher forte” não precisa falar palavrão, cuspir no chão, fazer cara de constipada e andar de perna aberta como a cultura de massas as representam atualmente.



Notas

  • Henry James (1843-1916) nasceu nos EUA e adquiriu a cidadania britânica em 1915.

  • Outros romances destacados: The Portrait of a Lady (1881), The Bostonians (1886), Os Embaixadores (1903) e The Golden Bowl (1904).

  • Outra Volta do Parafuso foi publicado em 1898, e é uma das mais famosas histórias de fantasmas da literatura.

  • O título original (The Turn of the Screw) expressa uma atitude que piora uma situação já ruim, perdendo-se na tradução literal.

  • O livro nasceu da encomenda de uma revista de uma empresa (Collier’s Weekly) para ser distribuída no período de festas entre o Natal e o Dia de Reis.