O Velho e o Mar de Ernest Hemingway


O homem não foi feito para a derrota. Um homem pode ser destruído, mas não derrotado.” – Santiago

Personagens Principais Santiago – velho, experiente pescador em fase de má fortuna Manolin – menino, aprendiz de Santiago

Personagens Secundárias Martin, Perico, Pedrico e Rogélio – habitantes do vilarejo

Interpretação O encanto desta singela novela está na personagem do velho pescador, Santiago, em como sua humildade e compaixão tocam aspectos universaisda condição humana, recordado-nos a constante luta do homem frente ao destino e as vicissitudes da vida.


Humildade, sem sentimentalismo e vitimismo, é a força de Santiago. Em nenhum momento o velho culpa a natureza, os homens ou Deus por seu infortúnio (Deus ensinou-nos através de Jó que o sofrimento é parte da condição humana.). Ele intui a condição trágica do homem, sabe que as coisas podem dar errado mesmo que você faça tudo certo e sem que ninguém seja responsável por sua desventura:


“É preferível ter sorte. Mas eu prefiro ser exato. Assim, quando a sorte vem, está-se preparado.” – Santiago


“E o que te derrotou? Nada! Fui longe demais.” – Santiago


Em sua simplicidade, Santiago entende que diante da trágica condição humana só nos resta fazer o melhor que podemos:


“Que podes tu fazer? Lutar. Lutar até morrer.” – Santiago


“Segue o teu rimo, e aceita o que vier.” – Santiago


Santiago, com compaixão, entende que Deus deu-nos a Terra para dela tirarmos os frutos para nossa existência – uma lição esquecida pelos, cada vez mais numerosos, adoradores de Gaia. E que o domínio da técnica em explorar a natureza também gera a responsabilidade em sua execução:


“Tu nascestes para pescador, como os peixes para ser pescados.” – Santiago


Finalmente, a atitude do velho pescador para com Manolin lembra-nos que somos responsáveis de transmitir o melhor que aprendemos às gerações futuras, bem como a atitude de Manolin recorda-nos que os jovens devem resgatar o melhor da herança do passado.


Notas

  • Ernest Miller Hemingway (1899-1961) nasceu em Oak Park, Illinois (EUA).

  • Repórter de profissão, aplicou em seus romances um estilo direto, coloquial, sem supérfluas artes sintáticas, até sem sintaxe.

  • Aventureiro e vaidoso, gostava de exagerar seus feitos, tornou-se uma personagem midiática.

  • Outros títulos destacados em sua obra: O Sol Também Se Levanta (1926), Adeus às Armas (1929), Por Quem os Sinos Dobram (1940).

  • O Velho e o Mar foi publicado em 1952. Tornou-se seu livro mais lido em função da premiação do Pulitzer e, principalmente, do prêmio Nobel.