O Coração das Trevas de Joseph Conrad


Personagens Principais Charles Marlow – 32 anos, comanda o vapor de resgate a Kurtz Kurtz – comerciante de marfim, bem-educado Personagens Secundárias Diretor – gerente da Companhia e capitão do vapor Contador – funcionário na Estação Central Oleiro – funcionário na Estação Central Arlequim – russo freelancer, admirador de Kurtz

InterpretaçãoAntes do Congo, eu era só um animal.” – Joseph Conrad sobre sua experiência no Congo

A novela remete ao fato de nossa existência material flutuar entre o mistério luminoso e o mistério das trevas, mistérios estes que aumentam conforme nos afastamos do mundo sensível: para cima mais luz e para baixo apenas trevas. Vivemos entre estes dois polos e temos a potência de ambos dentro de nós.


Quando caminhamos em direção as trevas, ou abismo, temos menos luz, enxergamos menos, tudo parece inexplicável. E é isso que Marlow sente conforme adentra o Congo, ou seu próprio abismo. Mas o homem pode escolher, o problema moral da vida é a oscilação entre estes dois polos. Kurtz, embriagado pelo desejo de poder, deixou-se seduzir pelo abismo indo de encontro aos seus planos iniciais civilizatórios, mas Malow consegue salvar-se (Malow é um duplo de Kurtz).


No último momento Kurtz entende tudo e percebe a monstruosidade (“The horror! The horror!”). Esse entendimento é sua redenção, como se fosse necessário descer ao inferno antes de alcançar o céu (vemos isso na viagem de Dante, na odisseia de Odisseu e na vida de Cristo) – só percebemos o polo luminoso desde a perspectiva do polo abissal.


Marlow mente para a prometida de Kurtz porque tem vergonha do fascínio que o abismo exerceu também sobre ele – duas falas de Marlow ao longo da novela “A cobra havia me encantado” e “Exerceria aquele demoníaco tumulto alguma atração sobre mim?”. O horror é inefável.


Esta selva da nossa existência interior, a potência de ser um Kurtz está em todo ser humano, cabe a cada um vencer suas pulsões ao abismo como Marlow o fez. Mas o homem moderno recusa o polo superior e parece aderir irremediavelmente ao crescente caos.


Flectere si nequeo superos, Acheronta movebo”. (““Se não posso mover os deuses de cima, moverei o Acheronte (rio no inferno)” – verso de Virgílio na Enéida (utilizada por Freund como epígrafe de A Interpretação dos Sonhos).



Notas

  • Joseph Conrad (1857-1924) nasceu em Berdyczów, Ucrânia. Mas escreveu em inglês.

  • Em sua obra destacam-se também os romances Lord Jim (1900), Nostromo: A Tale of the Seabord (1904), The Secret Agent (1907), e Victory: An Island Tale (1915), e a novela The Duel (1908).

  • O Coração das Trevas é publicado em 1902, inspirado na experiência real do autor como piloto da companhia belga Societé Anonyme Belge no Congo.

  • Muitos veem em O Coração das Trevas uma denúncia contra a colonização. Visão superficial e reducente, eivada de ideologia anticolonialista.

  • Um dos problemas da psicanálise é acreditar que o homem é conduzido pelo polo inferior, representado pelo inconsciente onde guardamos os desejos e emoções reprimidas.

©2019 by Cultura Animi