Hereafter (2010)


Clint Eastwood conta a história de três personagens que experimentam a morte de formas distintas. A jornalista francesa Marie Lelay sofre uma quase-morte num tsumani na Tailândia, o garoto Marcus não aceita a morte do seu irmão gêmeo, e George, que também experimentou a quase-morte numa operação na infância, tem a capacidade de escutar os mortos. Estas experiências lhes trazem sofrimento que só será aplacado ao final, quando as três histórias se cruzam.

A questão da vida após a morte é indiretamente colocada em discussão de maneira bastante realista. Os casos de quase-morte e as visões e sensações experimentadas por aqueles que a sofreram são inquestionáveis. O número de eventos, a coincidência das narrativas e a documentação existente não deixam nenhuma dúvida: há algo após a morte. O que isso é exatamente estes casos não podem explicar, pois seus sofrentes retornaram. Porém a mera menção da vida após a morte aterroriza o mundo cientificista e materialista no qual vivemos. A cientista visitada por Marie Lelay também era cética, mas se rendeu as evidências empíricas. Ela alerta a jornalista para o antagonismo que vai enfrentar ao tentar contar a sua história. De fato, o editor de Marie Lelay não aceitará publicar o seu livro, pois o tema pós-morte não teria apelo comercial, sendo viável apenas em “editoras especializadas neste tipo de assunto”. Ela também perde o emprego de âncora num telejornal por conta da potencial “perda de credibilidade” que sofrerá ao querer contar a sua experiência. Mas por que a existência de vida após a morte aterroriza estas pessoas. A fé com que abraçaram as soluções humanistas é defendida com fanatismo. Será que temem perder o salvo-conduto que acreditam ter para se entregarem ao mundo terreno? Será que temem as conseqüências da vida de vícios que tanto delicia seus corpos?

O final nos trás duas mensagens. Os vivos devem se ajudar na travessia da vida terrena. E podemos contar com a Providência para torná-la mais suportável, como demonstram as “coincidências” que permitem o encontro dos três personagens.


Filme Nota 5 (escala de 1 a 5)

©2019 by Cultura Animi