Gattaca (1997)


Consider God’s handiwork; who can straighten what He hath made crooked?” – Eclesiastes 7:13

I not ony think that we will tamper with Mother Nature, I think Mother wants us to.” – Willand Gaylin (1925- ), médico-psiquiatra americano


Temos na narrativa o embate das duas epígrafes acima que abrem o filme. Num mundo artificial, impessoal e totalitário, onde o homem acredita-se dono de seu destino e o Estado tudo pode, o herói (Vincent) reafirmará a superioridade da natureza humana, resgatando o indivíduo e a meritocracia.


O transumanismo e a reengenharia humana só trazem frustração e dor, representadas nas tristes figuras de Anton e Jerome – enquanto Vincent triunfa, o filho de Deus ascende ao céu.

O mundo caminha para um sistema totalitário e sufocante, e mais que nunca devemos buscar o amor, a família e a transcendência – nossa missão não é salvar o mundo, mas salvar a nossa alma.

Chassez le naturel, il revient au galop.” – frase de Les Glorieuxde Destouches (1732)

Filme Nota 4 (escala de 1 a 5)