Burning Bush (2013)



Minissérie de TV em três episódios narrando os eventos que se desenvolveram após a autoimolação com fogo do estudante tcheco Jan Palach em protesto da ocupação soviética do seu país em 1969. O pobre Jan talvez sonhasse em provocar uma reação internacional como o monge budista vietnamita provocou anos antes (1963). Porém o sacrifício do monge ajudava à narrativa esquerdista contrária a presença americana na região, bem ao contrário do ato de Jan. Logo, a mídia, que tanto explorou a primeira ação, tratou de rapidamente varrer para baixo do tapeta o heroísmo do estudante.


A mesma atitude ‘surda e muda’ teve a mídia brasileira em 2004 com semelhante imolação do ajudante de pedreiro José Antonio de Souza em 2004 em frente ao Palácio do Planalto, onde há dias implorava uma audiência com Lula. Cansado de esperar por aquele que prometera empregos para todos, José Antonio acabou embebendo o corpo em álcool e ateando fogo nas próprias carnes. Morreu, e a mídia fingiu que não viu.


Além da lição sobre o nefasto poder da mídia (invariavelmente infestada de ideólogos do demônio), Burning Bush também nos lembra dos horrores judiciários baixo um regime esquerdista – algo que os brasileiros começam a provar um minúsculo aperitivo com os assanhados soretes togados do STF.


Séria Nota 3 (escala de 1 a 5)