Biblioteca (Cassandra) de Apolodoro de Atenas



Personagens Principais Cassandra – profetisa, filha de Príamo e Hécuba Personagens Secundárias Apolo – deus olímpico da profecia, arco e flecha, música e perfeição

Interpretação Apolo, com intenções libidinosas, ensina Cassandra a arte da profecia, mas quando ela recusa ceder a seus desejos o deus retira-lhe o dom da persuasão.


O mito de Cassandra nos ensina que ter razão ou dizer a verdade não necessariamente será entendido ou aceito, não nos dá necessariamente credibilidade.


De fato, a verdade pode ser solitária e seu maior exemplo foi Sócrates: funda a filosofia ao representar o indivíduo que conhece a verdade a despeito do pensamento da coletividade. Os verdadeiros intelectuais tendem a uma grande solidão, pois sua capacidade de enxergar a realidade é desconsiderada.


Num sentido mais profundo, Cassandra nos recorda que a verdade (divina) não pode ser alcançada pelo homem.



Notas

  • Os mitos gregos são bem descritos na Biblioteca de Apolodoro de Atenas (morreu depois de 120 a.C.). Porém há indicações de que este livro tenha sido escrito entre os séculos I e II d.C..

  • Cassandra é personagem na Ilíada e Odisseia de Homero, Agamêmnon de Ésquilo, As Troianas e Electra e Eurípides, Eneida de Virgílio e outras.

  • Entre as mais famosas profecias ignoradas de Cassandra estão: (a) anúncio que Páris seria a ruína de Troia, (b) aviso que o rapto de Helena seria traria a destruição da cidade, (c) alerta sobre os soldados gregos no interior do Cavalo de Troia, e (d) prenúncio do assassinato de Agamêmnon.