Dois pesos e duas medidas


Luiz Inácio Lula da Silva has never hidden his fondness for a glass of beer, a shot of whiskey or, even better, a slug of cachaça, Brazil's potent sugar-cane liquor. But some of his countrymen have begun wondering if their president's predilection for strong drink is affecting his performance in office.” Assim começava o artigo publicado no The New York Times em 09/05/2004 por Larry Rohter, correspondente americano daquele jornal no Brasil.

Apesar do apego do criminoso Lula ao álcool ser público e notório, o então presidente reagiu à notícia com palavrões, murros na mesa e pedido formal de expulsão do jornalista do país. No final o Itamaraty inventou que recebeu uma retratação (que nunca existiu) do jornalista para evitar o vexame completo. Vale lembrar que a tropa esquerdista e muitos da mídia juntaram-se para defender o indefensável e criticar o jornalista.

Passados quinze anos temos outro americano, que nem jornalista é, publicando mensagens ilegalmente obtidas e enxertando-as com falas falsas para atacar o Ministro da Justiça, e aquela mesma tropa e parte da mídia chamam tamanho descalabro de liberdade de imprensa.

Impossível ter respeito por esta gente.

Nota: artigo completo do NYT em https://www.nytimes.com/2004/05/09/world/brazilian-leader-s-tippling-becomes-national-concern.html