Andrômaca de Eurípides



Personagens Principais Andrômaca – viúva de Heitor, escrava de Neoptólemo Peleu – rei de Ftia, pai de Aquiles e avô de Neoptólemo Menelau – rei de Esparta Hermione – filha de Menelau e Helena, casada com Neoptólemo Orestes – sobrinho de Menelau, filho de Agamêmnon Personagens Secundárias Neoptólemo – filho de Aquiles, príncipe de Ftia Molosso – filho de Andrômaca com Neoptólemo Escrava – serviçal fiel a Andrômaca Coro – mulheres de Ftia Tétis – divindade marinha


Interpretação A peça apresenta vários defeitos, e.g. a retirada de Menelau, o momento da morte de Neoptólemo, comentários anacrônicos e a falta de conexão entre a primeira e segunda parte do enredo. A natureza humana das personagens é apresentada de forma distorcida e desagradável, principalmente Menelau e Hermione, talvez pela influência do ódio ateniense por Esparta. Especula-se que parte dos problemas acima seria solucionada caso tudo não se passasse de um ardil de Menelau e Orestes tramado em uma peça anterior. Porém não há outra evidência além da vaga menção de Andrômaca ser uma sequência.

Eurípides usa o mito como material para falar dos problemas da sua geração, possivelmente sobre os riscos para a vida familiar da prática de manter escravos. A peça concentra-se meramente no comportamento de pessoas comuns sob pressão, nada contendo de simbólico.



Notas

  • Eurípides (484 a.C. – 406 a.C.) nasceu em Salaminas (ilha próxima de Atenas).

  • Escreveu 74 peças (67 tragédias e 7 dramas satíricos). Algumas fontes atribuem-lhe 92 peças. Dessas chegaram até nossos dias um drama satírico (O Ciclope) e 18 tragédias: As Bacantes (provavelmente 405 a.C.), Medéia (431), Hipólito (428), As Troianas (415), Helena (412), Orestes (408), Ifigênia em Áulis (405), Andrômaca, Os Heráclidas, Hébuca, As Suplicantes, Electra (415-413), Héracles, Ifigênia em Táuris, Íon, As Fenícias, Alceste e Reso (contestada).

  • Eurípides apresenta o homem revoltado com sua condição, cuja alma sucumbe diante da realidade O homem como ele é, segundo Aristóteles, em oposição a como deveria ser apregoado por Sófocles. Vai-se do destino implacável esquiliano para a rebelião metafísica humana de Eurípides, passando pela esperança de Sófocles. Com Eurípides a tragédia mítica convertesse numa representação da vida cotidiana.

  • Eurípides está impregnado com as ideias e retórica dos sofistas.

  • Eurípides venceu apenas 4 vezes nos festivais a Dionísio (Ésquilo venceu 32 vezes e Sófocles mais de 20 vezes).

  • Andrômaca parece ter sido composta em 419 a.C..