Senhorita Júlia de Strindberg


Personagens Principais Senhorita Júlia – 25 anos Jean – criado, 30 anos Kristin – cozinheira, 35 anos Personagens Secundárias Conde – pai de Julia, sem fala na peça Noivo – ex-noivo de Júlia, sem fala na peça Povo – representado pelos participantes na festa de São João, cantam e dançam

Interpretação O autor apresenta um embate social: Jean numa luta de classes e Julia numa guerra entre os sexos. Ninguém vencerá, mas Julia é a maior derrotada.


O impacto da peça talvez se deva a reviravolta de valores para a sua época, demonstrando a decadência da classe dominante (Júlia) e a ascensão do proletariado (Jean).

Porém ver as personagens por suas posições sociais é simplista, esquematizando-as a um panfleto. Antes de uma aristocrata, Julia é uma mulher com sérios problemas em apreender a realidade das relações entre os sexos. Herda as mesmas visões problemáticas da mãe sobre o tema e as projeta em seus relacionamentos com o sexo oposto. Ao passo que Jean é um homem ambicioso e insatisfeito com sua posição atual. Vê na fraqueza de Julia a oportunidade de ascensão rápida, mas não sem deixar de demonstrar seu desprezo por aqueles que possuem o que deseja.


A tônica da peça é a degradação das relações entre as castas e entre os sexos. Uma degeneração ontológica.



Notas

  • Johan August Strindberg (1849-1912) nasceu em Estocolmo, Suécia.

  • Filho de um aristocrata falido com uma garçonete, Strindberg cresceu como um ressentido social que se declarava um proletário oprimido e revoltado. Com sintomas graves de esquizofrenia, tem mania de perseguição e acreditava que as mulheres conspiravam contra ele, daí seu antifeminismo violento. É ateu e partidário do amor livre. Revolta e sexo marcam sua obra.

  • Prolífico, escreve mais de setenta peças, mais de uma dezena de romances, vários contos, extensa biografia, ensaios, escritos científicos e muito mais.

  • Senhorita Júlia (1888) reúne os elementos característicos do autor. Peça naturalista, sem nenhuma grandiloquência e falando sem reticências de fatos da vida.

  • O naturalismo de Zola e Hauptmann era baseado na sociologia e repudiava os artifícios teatrais em favor da realidade social. Já Strindberg cria batalhas psicológicas e espirituais com maior dramaticidade. Seu naturalismo era mais personalista, tratando de seus próprios demônios. Como Ibsen, Strindberg rompe com a tradição de arquétipos em cena, substituindo-os por personagens subjetivas e cheias de especificidades humanas.

  • Suas outras obras relevantes são: O Pai (1887), Credores (1888), A Dança da Morte (1900), O Sonho (1902) e A Sonata dos Espectros (1907).

  • A Dança da Morte, maior peça dramática de Strindberg, influenciou marcantemente a obra do cineasta Ingmar Bergman.

  • A festa de São João na Suécia era celebrada por camponeses e empregados domésticos com canções e danças nem sempre pudicas.

  • Atores, cenário e figurino da primeira encenação de Senhorita Júlia (Estocolmo – 1906):